Volta a Portugal: Bryan Alaphilippe triunfa em Bragança, Alarcón mantém amarela

O ciclista francês de 21 anos Bryan Alaphilippe (Armée de Terre) alcançou a primeira vitória profissional da sua jovem carreira na terceira etapa da 79ª Volta a Portugal Santander Totta. Na chegada a Bragança, o irmão mais novo da estrela do WorldTour Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors) bateu toda a concorrência num sprint exaustivamente preparado por Damien Gaudin, primeiro camisola amarela da Volta. A liderança da geral permaneceu tranquila nas mãos de Raúl Alarcón (W52-FC Porto).

À RTP, Bryan Alaphilippe falou sobre a vitória e os objectivos da equipa para esta Volta: “Foi uma boa etapa, um pouco complicada ao início. A equipa fez um grande trabalho e a vitória sorriu-nos ao final. É excelente para a equipa. O nosso objectivo era ganhar o prólogo com Damien Gaudin. Sabemos que a Volta a Portugal é muito dura e não viemos pela geral, mas sim especialmente pelas etapas.”


O líder da geral Raúl Alarcón fez à RTP uma antevisão da chegada em alto de amanhã: “Amanhã é uma etapa muito dura, o final na Sra. da Graça vai ser difícil. Outras equipas vão tentar tirar-nos a amarela e nós vamos tentar mantê-la.” Sobre o final de hoje, disse: “Não se pode ganhar sempre. No final tentámos, foi uma chegada muito nervosa e ganhou o mais forte.” Questionado sobre se a W52-FC Porto iria trabalhar para Gustavo Veloso amanhã, Alarcón rematou: “Vamos tentar fazer o nosso melhor e tentar que fique na equipa. Vamos trabalhar em equipa e que fique aqui.”
 
Bryan Alaphilippe brilha em Bragança (© João Fonseca / Volta a Portugal)

A terceira etapa levou a Volta pelas estradas entre Figueira de Castelo Rodrigo e Bragança, num total de 162,7 km, havendo uma primeira passagem pela meta a 14,2 km do final. Ao contrário do dia de ontem, as dificuldades montanhosas estiveram presentes na primeira parte do percurso: Vila Nova de Foz Côa (3ª cat. km 28,7), Torre de Moncorvo (3ª cat. km 46,2) e Serra de Bornes (2ª cat. km 88,7).

No pelotão, em consequência da queda na etapa anterior, já não partiram neste dia o holandês Reinier Honig (Team Vorarlberg) e o luso Edgar Pinto, líder da LA Alumínios-Metalusa-BlackJack, equipa que em comunicado informou sobre o seu estado como tendo “um traumatismo craniofacial com lesões faciais que exigiram sutura, um traumatismo toracoabdominal, um hematoma grande, com pressão no interior da embalagem do músculo quadríceps direito, com suspeita de ruptura parcial dos rectus femoris, e um hematoma intra-articular no joelho direito, que faz suspeitar o envolvimento dos ligamentos cruzados.” Assim, César Fonte passou a ser o homem forte da equipa lusa para a geral.

Após a partida de Figueira de Castelo Rodrigo, uma numerosa fuga tomou a frente da corrida, composta pelo vencedor da Volta de 2016 Rui Vinhas (W52-FC Porto), o terceiro à geral Domingos Gonçalves (RP-Boavista), António Barbio (Efapel), João Matias (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack), Zakkari Dempster, Ben Perry e o líder da montanha Roy Goldstein (Israel Cycling Academy), Sergio Vega (Unieuro Trevigiani-Hemus 1896), Philip Lavery (H&R Block Pro Cycling), Stef Krul (Metec-TKH Continental Cyclingteam p/b Mantel), Sebastian Lander (GM Europa Ovini), Zsolt Der (Team Vorarlberg), Beñat Txoperena e Mikel Bizkarra (Euskadi-Murias), o primeiro camisola amarela Damien Gaudin e Stéphane Poulhies (Armée de Terre).

Nas duas primeiras subidas da jornada, o luso João Matias destacou-se na luta pela máxima pontuação da montanha, subindo à liderança desta camisola. Já Domingos Gonçalves lutou pelas bonificações na primeira meta volante em Santa Comba de Vilariça, encurtando o tempo na geral para a camisola amarela envergada por Raúl Alarcón.

No pelotão, a equipa Sporting-Tavira tudo fez para alcançar a fuga, já que não tinha nenhum elemento na frente e pelo perigo de alguns fugitivos para a geral. A sorte da escapada terminou na aproximação à última subida do dia.

Seguiu-se uma nova ofensiva, desta feita encabeçada por Guillaume de Almeida, que foi coroar o alto da Serra de Bornes, a fim de proteger a recente liderança da montanha do companheiro de equipa da LA Alumínios-Metalusa-BlackJack. Esta ofensiva acabou por ser anulada, fruto do trabalho da Efapel na frente do pelotão.

Com todos os prémios de montanha superados, por fim um trio conseguiu formar a fuga com maior tempo passado na frente. Antonio Di Sante (GM Europa Ovini), Mikel Bizkarra (Euskadi-Murias) e Guy Sagiv (Israel Cycling Academy) atingiram um máximo de 2 minutos para o pelotão comandado pela W52-FC Porto, com a ajuda da Unieuro Trevigiani-Hemus1896, Armée de Terre e Efapel.

Na primeira passagem pela meta em Bragança, o trio ainda contava com 45 segundos de vantagem, que se desvaneceram nos derradeiros quilómetros. Bizkarra foi o mais resistente, terminando a fuga nos 4 km finais e sendo premiado com a combatividade.

Os derradeiros quilómetros ficaram marcados pelo grande trabalho da Armée de Terre na busca pela vitória, com Damien Gaudin a trabalhar exaustivamente para o sprint vitorioso de Bryan Alaphilippe, que superou na meta Krists Neilands (Israel Cycling Academy) e Daniel Mestre (Efapel).

Sobre o primeiro camisola amarela da Volta, a equipa Pro Continental francesa Direct Energie anunciou hoje a contratação de Damien Gaudin para 2018.

Raúl Alarcón (W52-FC Porto) cruzou a meta em 9º, mantendo a liderança da camisola amarela e por pontos. João Matias (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack) subiu à liderança da montanha, o companheiro de equipa César Fonte ao comando do combinado, Óscar Rodríguez (Euskadi-Murias) manteve o comando da juventude e a W52-FC Porto a liderança por equipas.

Amanhã, a quarta etapa disputa-se entre Macedo de Cavaleiros e a mítica chegada ao alto da Sra. da Graça, em Mondim de Basto, num total de 152,7 km.

Resultados Et3 [resultados completos]
1º Bryan Alaphilippe (Fra) Armée de Terre 4:06:08
2º Krists Neilands (Lat) Israel Cycling Academy mt
3º Daniel Mestre (Por) Efapel mt
4º Vicente de Mateos (Esp) Louletano-Hospital de Loulé mt
5º Marco Tizza (Ita) GM Europa Ovini mt
6º Amaro Antunes (Por) W52-FC Porto mt
7º Fabian Lienhard (Sui) Team Vorarlberg mt
8º Samuel Caldeira (Por) W52-FC Porto mt
9º Raúl Alarcón (Esp) W52-FC Porto mt
10º Jarno Gmelich Meijling (Ned) Metec-TKH Continental Cyclingteam p/b Mantel mt

Classificação Geral
1º Raúl Alarcón (Esp) W52-FC Porto 14:46:53
2º Alejandro Marque (Esp) Sporting-Tavira +6s
3º Domingos Gonçalves (Por) RP-Boavista +12s
4º Rinaldo Nocentini (Ita) Sporting-Tavira +16s
5º Gustavo Veloso (Esp) W52-FC Porto +17s
6º Sérgio Paulinho (Por) Efapel +20s
7º Amaro Antunes (Por) W52-FC Porto +22s
8º Rui Sousa (Por) RP-Boavista +25s
9º Vicente de Mateos (Esp) Louletano-Hospital de Loulé 29s
10º Davide Rebellin (Ita) Kuwait-Cartucho.es +32s
11º César Fonte (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +34s
12º Daniel Mestre (Por) Efapel +44s
13º Jesús Ezquerra (Esp) Sporting-Tavira +45s
14º Samuel Caldeira (Por) W52-FC Porto +46s
15º Óscar Rodríguez (Esp) Euskadi-Murias +47s
16º David de la Fuente (Esp) Louletano-Hospital de Loulé +48s
17º Krists Neilands (Lat) Israel Cycling Academy +50s
18º Ricardo Mestre (Por) W52-FC Porto +53s
19º Filipe Cardoso (Por) RP-Boavista +54s
20º Henrique Casimiro (Por) Efapel +55s
 ______
Ver também:

Sem comentários:

Enviar um comentário